terça-feira, 23 de setembro de 2008

O Balanço Final da Grande Rota das Aldeias Históricas

Citando César Pavese: "We do not remember days, we remember moments"

Desta Grande Rota das Aldeias Históricas ficarão muitos momentos inesquecíveis.
Muitos deles foram revividos à medida que escrevi estas crónicas, que procuraram transmitir-vos os bons momentos pelos quais passámos ao longo dos 7 dias que durou esta grande aventura.
Também houve maus momentos, em que nos questionamos sobre o porquê de tentarmos testar os nossos limites, de nos colocarmos à prova. Talvez tenha sido essa a derradeira razão para ter participado na Grande Rota das Aldeias Históricas.
Mas esses momentos não são para partilhar, pelo menos com vocês.


Foi uma semana inesquecível, e se alguém tiver dúvidas sobre embarcar nesta aventura que a A2Z Adventures nos proporciona, apenas posso dizer que não se vão arrepender.
Para alem do que indiquei acima, terão a possibilidade de conhecer uma parte do nosso país, tanta vez esquecida, negligenciada e pouco conhecida.

Mas que tem locais magníficos, paisagens fabulosas, gentes hospitaleiras e trilhos inesquecíveis, que vos procurei dar a conhecer através das muitas fotos que ilustram as crónicas.

Como de costume, ficam os agradecimentos finais.
Para o pessoal da A2Z Adventures, que durante uma semana nos aturaram e trataram de nós.
Para o Pedro Carvalho, o Pedro Pedrosa, a Filipa, o Nuno e o Tiago o meu obrigado e foi um prazer ter-vos conhecido.

Espero no futuro poder participar em organizações vossas.

Para os participantes que comigo pedalaram nesta aventura fica também o meu agradecimento e reconhecimento, principalmente ao Sérgio, que aceitou mais um desafio e ao Ricardo.
Mas também ao Raphael, ao Miguel, ao Gonçalo (e o seu Biofreeze) e ao Nuno, que nos acompanharam durante alguns dias.

Uma palavra de agradecimento também para todos aqueles que contribuíram para a minha participação na Grande Rota das Aldeias Históricas, e para quem ao longo dos dias me incentivou através de telefonemas e mensagens.

Finalmente gostava de partilhar convosco, aquele que para mim é dos momentos mais marcantes daquela semana.
Na passagem pela aldeia de Castelo Mendo, o Pedro Carvalho começou a conversar com um velhote que, com a sua esposa, estavam a sentados junto às muralhas da aldeia, e lhes explicou o que andávamos a fazer.
O velhote ficou muito admirado e não entendia, a razão pela qual para além de não recebermos dinheiro, ainda pagávamos para andar a dar cabo das pernas...

1 comentário:

Filipe Antunes disse...

Mais uma reportagem à Canas!

Acho que um dia vais deixar a auditoria.... e passar a ser reporter?!

Frase da noite!

"Este homem nasceu para o BTT"

O Canas claro....!