quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Dia 3 – 2 de Setembro de 2008 – Sortelha – Castelo Mendo - Almeida


90 km’s com 1.615 metros de desnível acumulado

A Etapa mais longa…

O início desta etapa percorria em sentido inverso os últimos quilómetros da etapa do dia anterior até à aldeia de Urgueira.
Nesta última aldeia seguimos em direcção à vila de Sabugal, sempre em terreno acidentado (pequenas subidas e descidas) e em zonas rodeadas de árvores (principalmente carvalhos).

Um encontro com um rebanho de ovelhas entre Sortelha e Sabugal

No Sabugal efectuámos uma pequena paragem para visitar o Castelo e tirar algumas fotos.

Castelo de Sabugal

Making of de mais uma foto do Gonçalo com as suas fãs

Cuidado que as aparências iludem

Depois do Sabugal continuámos num terreno acidentado, com algumas subidas mais exigentes, mas curtas, e com as consequentes descidas.
Tal como no início da etapa, os trilhos continuavam sempre a ser ladeados de vegetação, seja de carvalho, giesta ou mesmo pinheiro.

Percurso a seguir ao Sabugal, no meio de carvalhos

Percurso a seguir ao Sabugal, no meio de giestas

Percurso a seguir ao Sabugal, no meio de carvalhos

Depois de passarmos pela aldeia do Souto começámos uma descida relativamente longa em estradão que deu para abrir o apetite para o almoço, que foi na aldeia de Alfaiates.

Descida para Alfaiates

Descida para Alfaiates

Depois do almoço o tipo de terreno manteve-se por mais uns km’s, no entanto a envolvente alterou-se com o percurso a passar por zonas delimitadas por muros de pedra na zona das de Rebelosa e Aldeia da Ribeira (muito à semelhança do que acontece na zona de Minde e Serra de Santo António).

A seguir ao almoço, após Rebelosa

A seguir ao almoço, após Rebelosa

Após esta última aldeia entrámos numa zona de planalto, em que durante cerca de 15 km’s pedalámos rodeados de carvalhos, que ainda estão relativamente pequenos e por isso mesmo não proporcionavam grande sombra.
Daqui a alguns anos será uma zona espectacular para fazer btt.
Nesta fase o vento que se fazia sentir de sul ajudou-nos a rolar bastante rápido, numa rota que era utilizada pelos antigos contrabandistas.

Rolando na zona de carvalhal

Subitamente a vegetação de carvalhos desapareceu e deu lugar a uma zona de meio inóspita, de terrenos agrícolas e com vegetação rasteira, até termos passado a aldeia de Freinada e iniciado a descida para o Rio Côa.


Junto ao Rio Côa, aproveitámos para tirar mais uma fotos, dado que era um cenário espectacular, e preparar psicologicamente para a subida que se seguia para Castelo Mendo, mais uma das Aldeias Históricas a visitar.
A passagem do Rio foi feita através um pontão, em que o Gonçalo aproveitou para sacar uns cavalos.


A subida para Castelo Mendo era complicada, principalmente porque alguns troços tinham o terreno muito solto, e com pouca aderência.


No final da subida, mais um abastecimento, algum descanso e mais algumas fotos para mais tarde recordar.

À porta de Castelo Mendo.

Da esquerda para a direita: Pedro Pedrosa, João, Nuno, Sérgio, Raphael e Gonçalo.


A saída de Castelo Mendo tinha uma pequena subida, em que circulávamos no meio de blocos enormes de granito, e depois voltávamos a entrar numa fase de estradão rodeado de terrenos agrícolas, em terreno plano, ou com declives pouco acentuados.

Sérgio à saída de Castelo Mendo

Sérgio e Nuno à saída de Castelo Mendo

O final da etapa aproximava-se e depois de passarmos por mais 3 aldeias (Mido, Leomil e Aldeia Nova), voltámos a descer para o Rio Côa.


A última subida, que começava numa ponte bastante antiga sobre o rio Côa, era longa e com cerca de 3 km’s de calçada, mas mais acessível que a Monsanto.
Ainda assim não foi fácil vencê-la.

Ponte sobre o Côa, mesmo antes de começar a subida para Almeida

No final da etapa tivemos uma vez mais apoio técnico, desta vez a cargo da Garbike.
Deu muito jeito, dado que o Sérgio tinha partido um raio da roda de trás.

A Specialized do Sérgio à espera da reparação do roda de trás, que foi até à Guarda


Frase do dia:
Algures entre Alfaiates e Castelo Mendo, por Pedro Pedrosa: “Treina que isso passa…”


Momento do dia:


Junto a Castelo Mendo

1 comentário:

filipe disse...

Ainda bem que a CentralBikes não deu apoio a essa rota.....senão vinha tudo com marteladas nos desviadores...!

Cada vez que me lembro...........

Bonitas fotos! Neste dia estavas inspirado!