sábado, 22 de fevereiro de 2014

Deus Não Dorme…….


 

Em Setembro (sim, já lá vão 5 meses), finalmente, conseguimos arranjar uma data para juntar grande parte dos membros do BTZ Mação para fazermos aquilo em que somos realmente bons: comer, beber e conversar. Associado ao evento, e para que não existissem queixas dos atletas, realizámos também um passeio de BTT.


De forma a descentralizar os nossos eventos, desta vez optámos por iniciar o percurso em Chão de Codes. A partida seria junto às instalações da Associação Recreativa e Cultural de Chão de Codes, com quem temos colaborado nos últimos anos na organização de eventos de BTT em Mação.  Por cortesia da Direcção da Associação (a quem deixamos o nosso agradecimento) tivemos direito a café logo pela manhã e pudemos tomar um bom pequeno almoço e colocar a conversa em dia.

Depois dos habituais preparativos para a partida e alguns percalços mecânicos do Agostinho, tiramos a foto de grupo e iniciámos o percurso com uma subida, para efectuar um bom aquecimento, que a temperatura era relativamente baixa e ameaçava chuva.

Primeira paragem do dia....lenha!!!

No final dessa subida iniciámos a descida para o Cerro do Outeiro, onde nos esperava o primeiro singletrack do dia, mas que também trouxe as primeiras quedas dado que o piso estava muito escorregadio pela chuva que tinha caído durante a noite.  O Alexandre era o que apresentava mais mazelas, mas felizmente dava para continuar.

Agostinho e Leira a jogar pelo seguro no Cerro do Outeiro


O primeiro passeio pedestre

Depois de reagrupar o pessoal, seguimos por alcatrão para Louriceira, onde voltámos ao trilho, com mais uma subida, desta vez curta mais muito inclinada. O terreno pesado e com pouca aderência fez com que toda a gente desmontasse (referi acima que nós somos bons é à mesa).


Alexandre e Tiago num dos engarrafamentos do dia

Seguimos por mais um singletrack, que nos levou ao primeiro passeio pedestre do dia, para passar uma ribeira, algumas hortas e muitas balsas…… Mais fácil foi a passagem da Ribeira de Codes, que nesta altura do ano e apesar das chuvas ainda não levava muita água.

O pedrestre nas hortas da Louriceira

O grupo seguiu junto por mais uma subida complicada para a zona de Vale de Casas e depois descemos rapidamente para o Lagar da Lousa, onde se iniciava a parte mais divertida do percurso, devido aos inúmeros singletracks. Alguns deles não são completamente cicláveis, pois estão mais vocacionados para os passeios pedestres.
No entanto o singletrack de ligação a Água Formosa deu para o pessoal desfrutar de algumas zonas mais técnicas, com o Rafael a ficar chateado com o “pace car” que levava à frente, que fez com que o grupo se fosse estendendo ao longo do percurso.  

Eu tinha dito que não era por ali....mas o pessoal insistiu.....

Seguimos pelo alcatrão para reagrupar o pessoal e dirigimo-nos para a zona de Vilar do Chão, com mais algumas subidas (o Orlando que o diga) e descidas em estradão. O singletrack de Vilar do Chão para Água Formosa é espectacular, com grande fluidez e alguns locais espectaculares. 

O nosso especialista em passeios pedestres nunca perde uma oportunidade

Em Água Formosa tivemos o abastecimento, para ganhar forças para o resto do percurso. O Vítor que infelizmente não pôde pedalar connosco, encarregou-se de levar os mantimentos (os quais agradecemos ao Almeida e família).
O tão ansiado abastecimento

Um pouco (nalguns casos, bastante) mais pesados seguimos pelo singletrack do precipício, que deixou alguns atletas nervosos…..e mais propensos às quedas!!!

Dr. Rato ou Liedson?

A saída do singletrack com uma ribeira e uma subida terrível levou-nos a Vale das Casas onde reagrupamos e seguimos para a zona do Pereiro. Nesta fase do percurso tivemos um desafio que consistia em fazer uma subida montado na bicicleta: muitos tentaram!!! Ninguém conseguiu!!!


Alexandre e o nosso Velhinho na subida desafiante

Para compensar tivemos uma descida em estradão, espectacular, com curvas encadeadas e uma entrada escondida para mais um singletrack, o da Borda da Ribeira. No final do singletrack, quando nada o fazia prever, o nosso Chefe-de-Fila resolveu começar a sua exibição de quedas (para o lado).

Take 1

Após recuperarmos e fazermos mais um singletrack, apanhámos mais uma subida complicada para depois descermos para o Casal Novo e perdermos o Dr. Rato.  

Chefe de Fila Antunes: quem sabe não esquece

Seguimos por alcatrão até à entrada do Chão de Codes onde Deus resolveu não dormir (ou talvez tenha sido o Leira) e mandar mais uma vez ao chão o nosso Chefe-de-Fila…….

Take 2

O percurso terminava a subir, o que levou o Tiago a queixar-se, que em Mação, arrancamos a subir e acabamos a subir!!!!


Tiago, para a próxima começamos a descer e acabamos a descer

Depois de uma manhã e início de tarde a pedalar, avançámos para o evento mais importante: o almoço, que se disputou em Mação e onde todos mostrámos serviço……

Em resumo, foi um dia de pedaladas, com um percurso mais divertido que exigente fisicamente e uma boa refeição. Tudo isto na companhia de amigos, que é o que o BTZ é na sua essência, um grupo de amigos que partilham o gosto por pedalar (de preferência em Mação).

2 comentários:

Paulo Marques disse...

Apenas a dizer, 5 * , cheio de saudades de um dia assim.

Paulo Marques disse...
Este comentário foi removido pelo autor.